O Festival

cartaz“Neste ano de 2015 teremos a sexta edição do Festival da Fábrica de Cultura Flaskô. Entendemos a arte como instrumento de reflexão e crítica da organização produtiva na sociedade atual, uma arte que contribua para a formação de sujeitos que se reconheçam como tais diante da história, capazes de compreender o passado, de criar suas próprias memórias, de se articular socialmente, de mudar o rumo das coisas. É através da arte que podemos manifestar nossas ideias e ideais. Através da convivência, de conversas casuais, de compartilharmos os espaços é que podemos construir mudanças.

Assim, é com grande satisfação que trazemos a público o 6° Festival Flaskô Fábrica de Cultura , que acontecerá nos dias 28, 29 e 30 de Agosto de 2015. As atividades acontecerão na Flaskô, Rua Marcos Dutra Pereira, 300 – Parque Bandeirantes – Sumaré – SP e nos arredores da fábrica.

A Flaskô é uma fábrica ocupada que produz tambores e que está sob controle dos trabalhadores após o abandono provocado pelo patrão em 2003. Em agosto de 2010, ocorreu o primeiro Festival em decorrência da criação da Fábrica de Esportes e Cultura da Flaskô. A iniciativa tem como objetivo potencializar a luta dos trabalhadores da fábrica e promover atividades culturais e esportivas à comunidade do entorno. Foi criado também o galpão de esportes e cultura, onde acontecem atividades de caráter público, com construção coletiva, oferecendo um espaço cultural que a cidade de Sumaré tanto carece.

Desde então, nos últimos 5 anos ocorreram grandes festivais que sempre serviram para comemorar as atividades culturais da Fábrica Ocupada Flaskô, como espaço de resistência e iniciativa no meio cultural por parte dos trabalhadores e trabalhadoras da fábrica. Durante todas estas atividades pudemos nos encontrar com muitos parceiros, dialogar através de peças, debates, lançamento de livros, músicas e filmes. Os quatro Festivais anteriores contaram com a presença de grupos artísticos, bandas, apoiadores e público de outros lugares do Brasil e, inclusive, de outros países.”